Temática

nova pagina
2020
XXIV Congresso Pan-Americano de Arquitetos 

Maceió − Alagoas − Brasil − 27 a 29/11/2012
VIVER O TERRITÓRIO, IMAGINAR A AMÉRICA

Em um momento distante, quando céus e terras se multiplicavam com o conhecimento e a interação entre as suas várias partes, surge a América.
Filha das grandes navegações, dos saques, do desenvolvimento da matemática, da cartografia, um de seus berços molda-se no momento em que a terra é circunavegada e os europeus chegam ao continente.
Quando o tema é o território e a América está no centro das discussões, a dimensão do passado encontra a do presente pela necessidade contemporânea das trocas mútuas, da mobilidade, da manutenção da paz e da concórdia entre as nações.
Territórios são como casas. Hábitats de uma ideia. Voláteis, articulam-se em fluxos e redes, mas alicerçam sólidas construções identitárias que rompem fronteiras geográficas e criam novas cartografias: transnacionais, continentais, americanas, pan-americanas.Mapear essas cartografias que se desenham em solo americano é o propósito deste XXIV Congresso Pan-Americano de Arquitetos.





Interessam as que tomam como instrumento de desenho a alta tecnologia e assumem, por isso, grandes velocidades e até mesmo uma condição de independência do sítio físico. Mas, também, as corporais, que se imprimem aos poucos, pelos passos do homem na terra. Ambas constroem aldeias, estabelecem domínios próprios.
Território, mais do que distinção entre domínios geográficos, leva-nos a compreender a terra como lugar circunscrito. A América, nesta dimensão, surge com seus diversos papéis e polifonias: material, imaterial, relacional, produtiva, simbólica, inventada.
Quando os campos disciplinares isolados já não dão conta da complexidade dos fenômenos da ocupação territorial, inclusive daqueles da metrópole, torna-se urgente romper esse isolamento. Por isso, são bem-vindas as contribuições que articulem a arquitetura e o urbanismo a outros campos de conhecimento como o da arte, da cultura, da história, da geografia, da antropologia.
Nessa perspectiva, o XXIV Congresso Pan-Americano convida os partícipes do mundo a conversarem sobre a qualidade e o teor dos encontros promovidos pela ideia da mobilidade e imersão da América em um contexto contemporâneo.